Levantamento topográfico: Importância e aplicações

Engenharia Civil, Fotogrametria, Mapeamento e Fotogrametria, Uncategorized

Levantamento topográfico: Importância e aplicações

Tudo que você precisa saber antes de contratar esse tipo de serviço:

Toda obra tem seu primeiro passo. Quando pensamos em construir ou comprar uma estrutura, a última coisa que queremos é passar por algum tipo de transtorno no futuro. Por isso, é importante tomar todas as medidas que garantam que o local onde está ou será feita a obra está em condições de funcionar normalmente, e, para isso, é importante ficar atento a todos os detalhes. levantamento topográfico

No caso de uma obra que se inicia do zero, antes mesmo de a construção começar a ser erguida, é necessário que seja feita uma análise do terreno. Para isso, é recomendado que se faça um levantamento topográfico da área. O levantamento topográfico geralmente é o primeiro passo para qualquer obra, uma vez que é ele quem determina o tipo de relevo e as condições que o engenheiro vai encontrar para iniciar os trabalhos. Os dados coletados geram informações que posteriormente serão usadas para a elaboração de plantas e outras representações gráficas das características do terreno.

A planta topográfica obtida representa as curvas de níveis e os elementos que formam o terreno analisado. Esses dados costumam ser usados como base para projetos arquitetônicos e em análises de georreferenciamento. As informações coletadas pelo levantamento topográfico costumam ser usadas por profissionais de diferentes áreas, como geologia, engenharia, construção civil, arquitetura, entre outras.

O QUE É E COMO É FEITO UM LEVANTAMENTO TOPOGRÁFICO?

O levantamento topográfico consiste em uma série de medidas, informações e análises, compreendidas na agrimensura, de determinada área que vão dar um panorama da situação do terreno. Como dissemos, esta é geralmente a primeira ação a ser tomada antes do início da construção. É ela quem vai fornecer uma representação dos pontos do terreno, assim como acidentes geográficos ou outros detalhes do relevo.

Através desse levantamento topográfico é possível localizar e avaliar todas as características do solo, com o objetivo de determinar a posição relativa de pontos na superfície. A avaliação também averiguá as principais características do terreno, como a angulação e as deformações geográficas.

Com a planta topográfica em mãos, o profissional pode acompanhar com maior riqueza de detalhes a execução da obra e avaliar pontos específicos como o alinhamento e posicionamento da estrutura e identificar possíveis deslocamentos.

O levantamento topográfico também retrata pontos como acidentes geográficos, interferências, divisas, construções, sistema viário, entre outros pontos. Tudo isso permite que engenheiros e arquitetos adaptem seus projetos de acordo com a situação real do terreno onde é realizada a obra.

Uma análise topográfica bem-feita também evita custos extra no empreendimento, uma vez que, caso o levantamento topográfico realizado não seja assertivo, a chance de que algo saia errado é grande, uma vez que correções verificadas tardiamente precisarão ser corrigidas, gerando gastos e demandando mais tempo, mais mão de obra e mais materiais.

 

METODOLOGIAS E FERRAMENTAS: 

 

Existem diferentes métodos e tipos de levantamento topográfico. Com a evolução tecnológica em alta, novos recursos e ferramentas vem tomando o mercado, agregando menor tempo de resposta, redução de custos e qualidade técnica das informações coletadas. Mas não se engane, não se trata de um processo de substituição das metodologias de realização de levantamento topográfico tidas como “convencionais”, mas sim novas oportunidades de se agregar o fator tecnológico para melhor qualidade de entrega e uma maior gama de opções para adequação a cada tipo de projeto.

 

Para entendermos melhor as opções de métodos para realização de um levantamento topográfico, abordamos a seguir as principais metodologias adotadas atualmente na disciplina da Agrimensura:

ESTAÇÃO TOTAL COMO FERRAMENTA DE COLETA:

Uma Estação Total é um equipamento para medições topográficas que fica posicionado em um local livre de obstáculos e emite um feixe de laser que reflete em um prisma e retorna ao equipamento.

Pelo tempo de resposta e o ângulo de rotação da luneta da estação, o computador interno calcula os ângulos e distâncias armazenando os pontos em sua memória interna. Após medir todos os pontos necessários, os dados são baixados para um computador, onde desenhamos o terreno ou construção aferida.

As Estações Totais são classificadas em:

  • Medição somente com prisma;
  • Medição sem prisma – reflectorless;
  • Servo-motor;
  • Autolock;
  • Robótica.

 

GNSS RTK DE ALTA PRECISÃO COMO FERRAMENTA DE COLETA:

Existem também métodos mais modernos para se realizar um levantamento topográfico, com a utilização de aparelhos de GPS. O Sistema de Posicionamento Global é considerado um dos meios mais eficazes de se realizar essa análise, sondando e demarcando o solo de maneira bastante precisa. Esse tipo de análise segue um passo a passo para obtenção de um resultado mais preciso:

  • Primeiro, deve-se posicionar o GPS em local estável e fazer alguns testes para determinar a precisão do aparelho, para que o ponto de controle do Sistema tenha maior exatidão no fornecimento dos dados.
  • Depois, é necessário colocar um tripé ou outro aparelho para realizar a triangulação ou captura da área. O GPS também possui ferramentas de topografia que fornece pontos de controle pré-definidos de locais que já foram coletados, e esses dados podem ser incluídos na medição do solo.
  • Os instrumentos devem então ser posicionados para localizar o receptor. A partir daí, o GPS vai medir e demarcar as áreas desejadas. Então, os pontos no mapa deverão ser demarcados e revisados, usando os métodos de medição que forem mais convenientes.
  • O receptor será movido para o ponto seguinte e assim por diante. Esse ponto varia de acordo com a área e com a quantidade de pontos que devem ser abrangidos para concluir o cadastro. As medições serão então integradas a outras localizações previamente calculadas pelo próprio GPS, e esses dados serão incluídos no cadastro.

 

DRONES / VANT COMO FERRAMENTA DE COLETA:

Os drones surgiram com o potencial de revolucionar várias áreas de nossas vidas, mas hoje a maior ruptura é no campo do levantamento topográfico, ou aerolevantamento. Essas pequenas máquinas voadoras fazem o mapeamento de qualquer área ou objeto em poucos minutos ou horas, em vez dos dias ou semanas, típicos dos processos existentes até aqui.

Além disso, um ponto extremamente importante é a sensível redução de custos nos processos de levantamento topográfico de grandes áreas, que por metodologias tidas como “convencionais” se tornam consideravelmente relevantes ao orçamento de um projeto de grande porte.

Todas as metodologias apresentadas aqui, carecem sempre de uma refinada busca por capacitação por parte de quem contrata, para que seja evitado retrabalhos e custos com contratações “duplicadas”. Mas sem dúvidas, o processo de contratação de um levantamento topográfico por drones é o mais sensível nesta lista. Como se trata de um mercado relativamente recente o risco de contratações inadequadas são consideráveis.

Pensando nisso, elaboramos neste POST um guia do que esperar quanto a precisão desejada para o seu projeto e caminhos que guiam a uma contratação de sucesso.

 

A EVOLUÇÃO DA TOPOGRAFIA COMO CIÊNCIA:

Os avanços tecnológicos permitem que os dados sejam coletados com cada vez mais precisão. É importante salientar mais uma vez que, quanto mais exatos forem os resultados do levantamento topográfico, maior conhecimento do terreno será obtido, e as chances de que algum transtorno aconteça, atrasando e encarecendo a obra, são consideravelmente menores.

Além da coleta de informações sobre a largura, altura, altitude e comprimento do terreno por meio do levantamento topográfico, a medição por Drone / VANT consegue também definir as áreas verdes preservadas e delimitar espaços conforme exigido, muitas vezes, por lei.

 

ESCANEMANETO LASER COMO FERRAMENTA DE COLETA:

A tecnologia laser scanner não pode ser considerada uma novidade nos setores de mapeamento e levantamento topográfico, nem mesmo no Brasil. O que se encontra hoje é a introdução de diversos equipamentos, estes sim, com inúmeros recursos e em constante evolução, de forma surpreendentemente dinâmica.

Com inúmeras aplicações, precisão e detalhamento inigualáveis, a tecnologia avança rápido e se aproxima cada vez mais das técnicas convencionais de topografia. Mercado brasileiro tem enorme potencial de crescimento.

Apesar de ser a metodologia mais nova nas medições de campo, o laser scanner 3D (LS3D) utiliza o mesmo princípio da estação total, onde basicamente é feita a medição de ângulos e distâncias para o posicionamento tridimensional. A diferença está na coleta abundante de informações num curto período de tempo, feita pelo LS3D, versus a escolha meticulosa de pontos em campo com uma estação total ou GNSS.

Porem aqui estamos falando da metodologia de coleta de dados para realização de levantamento topográfico com o maior custo, entre as opções disponíveis no mercado atualmente. Logo, a análise da real necessidade de contratação deste tipo de tecnologia deve ser analisada a fundo.

Neste POST mostramos o comparativo entre metodologias de levantamento topográfico por Laser Scan e por aerolevantamento com Drone.

INFORMATIVO:

Todo levantamento topográfico deve ser realizado em conformidade com a norma ABNT NBR 13133 – Execução De Levantamentos Topográficos. Essa norma regulamenta os procedimentos que devem ser realizados de acordo com a legislação mais atual.

TIPOS DE LEVANTAMENTO TOPOGRÁFICO

Dependendo do tipo de empreendimento que será trabalhado e dos motivos pelos quais a análise é necessária, diferentes informações deverão ser mapeadas. Em alguns casos são suficientes apenas as projeções horizontais, ou apenas os relevos. E há também as ocasiões em que o projeto pede por um levantamento topográfico mais completo.

Para cada demanda, há um tipo de levantamento topográfico, que usa de diferentes metodologias para levantar as medidas do terreno, bem como a altura do relevo. Existem três tipos de análises que podem ser utilizados para a medição dos elementos e características de da área:

Planimétrico:

A planimetria se caracteriza pela medição das projeções horizontais que definem uma área. Esse tipo de levantamento é usado principalmente para determinar os limites de um terreno. Adotando-se uma escala adequada, todos os pontos de interesse do terreno são projetados ortogonalmente sobre um plano de referência horizontal.

Altimétrico:

Por outro lado, a altimetria consiste no cálculo das alturas de um terreno, registrando o grau de declividade da área analisada. A principal função do levantamento topográfico altimétrico é representar o relevo de uma área, informação fundamental para o entendimento das características de um terreno. A referência de nível obtida através desse método pode ser natural – como no caso do nível do mar – ou arbitrada pelo técnico.

Planialtimétrico:

Como o próprio nome supõe, o levantamento topográfico planialtimétrico consiste, basicamente, na união entre o levantamento planimétrico e altimétrico. Esse método garante um mapeamento mais completo da área analisada, uma vez que une a medição das projeções horizontais e as diferenças de alturas do relevo. Com o levantamento topográfico planialtimétrico realizado pelo topógrafo, os responsáveis pela obra podem começar a estudar com precisão a declividade dos trechos da propriedade antes de iniciar efetivamente o projeto.

Para que o serviço seja realizado de maneira consistente e segura, é fundamental que o profissional envolvido no empreendimento conheça os tipos de levantamento topográfico e suas aplicações. O conhecimento das ferramentas disponíveis vai permitir que ele escolha o método mais adequado, economizando tempo e dinheiro e entregando um projeto que atenda às necessidades do trabalho.

 

LEVANTAMENTO TOPOGRÁFICO MAL FEITO PODE PARALISAR TODA OBRA

Já salientamos a importância da realização de um levantamento topográfico de qualidade, uma vez que um erro de execução pode prejudicar toda a estrutura durante a obra e até mesmo após o término. Por isso, é necessário que a análise seja feita com exatidão e riqueza de detalhes.

Como já foi salientado, estudos realizados de maneira inadequada podem causar transtornos que vão desde o aumento do custo até a paralisação total da construção. Por exemplo: um projeto de terraplanagem deve ser feito através de levantamento que retrate o relevo e forneça cálculos de volume de corte corretos. No entanto, em levantamentos em que as divisas da área são feitas de maneira errada, a obra pode ultrapassar os limites, invadindo o terreno de outro proprietário ou entrando em áreas de preservação permanente.

Em construções onde é necessário o serviço de escavações, um cálculo mal feito da área pode causar prejuízos não só para o responsável pela obra, mas também para a comunidade ao redor. Existe a possibilidade, por exemplo, de se atingir cabeamentos elétricos, adutoras, fibras ópticas ou dutos caso as interferências subterrâneas não sejam previamente identificadas pelo levantamento topográfico.

Antes de contratar esse serviço, não vá se esquecer de validar:

Entre os cuidados que devem ser tomados antes da realização das medições do terreno está a verificação prévia de qualquer diferença no local, seja de relevo, solo ou qualquer outra. Esses fatores podem se tornar dificuldades para a realização do estudo e devem ser analisados com atenção. O profissional que vai realizar o levantamento topográfico precisa ser habilitado para tal serviço, ter experiência e conhecer o objetivo da análise do terreno, para que ele possa decidir qual tipo de estudo será necessário para a obra.

Importante também conhecer as normas e especificações técnicas do levantamento. Todas essas informações, claro, influenciam no custo do projeto e no tempo para executá-lo, mas uma análise bem feita resulta em uma obra sem transtornos no futuro.

 

Deixe um comentário

error: Content is protected !!